Por favor, preencha a atmosfera com a vibração sublime dos Santos Nomes:
Hare Krsna Hare Krsna Krsna Krsna Hare Hare Hare Rama Hare Rama Rama Rama Hare Hare

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Saber, Ousar, Querer, Calar.

Saber, Ousar, Querer, Calar

Ensinamentos esotéricos recolhidos para servirem tanto para iniciados como para não iniciados.


Para ousar é preciso saber, pois aquele que ousa sem saber o que faz, ou o que quer, ou ainda o que pode, acabará sendo vítima de um grande equívoco produzido pelas forças cujo alcance ignora. Isto em outras palavras significa que dar-se-á mal. A fé cega é a subjugadora dos supersticiosos. O ser humano inteligente, deve sim — ousar, até onde chegam os seus conhecimentos.

Para querer é preciso ousar. Todavia, a vontade daquele que quer, deve ser confirmada pela ação ou atos. Há que haver uma ação constante de vontade, movida por um desejo firme, mas sem atropelos. Os frutos a serem colhidos daquilo que se quer, pode ser o resultado de uma vida inteira de dedicação na busca de um objetivo.

É preciso querer para conseguir o domínio; no entanto, para querer é preciso saber querer. A vontade não deve ser precipitada, mas sim calma e tranquila. O desejo ardente poderá também ser uma força para a criação ou para a obtenção algo qualquer, mas só a vontade que é diferente do desejo impulsivo ou passageiro, pode determinar a permanente qualidade do que se quis.

E para dominar é preciso calar. A lei do silêncio sobre tudo o que pretendemos realizar, é uma das condições fundamentais para dominar a persecução dos nossos objetivos. Portanto, não devemos falar sobre os nossos projetos mais íntimos, para que não despertemos o escarnecimento ou a inveja. Muitas ideias e projetos embrionários, quando revelados a aproveitadores, não chegam a nascer ou então são explorados antes de quem os concebeu.

Estes aconselhamentos servem tanto para a nossa vida diária, como para as nossas experiências no campo espiritual, e nesta última hipótese — não devem ser propaladas, para evitar quase sempre interpretações indesejáveis, calcadas em fundamentalismos.

 
Luiz Carlos Nogueira
 
_/\_