Por favor, preencha a atmosfera com a vibração sublime dos Santos Nomes:
Hare Krsna Hare Krsna Krsna Krsna Hare Hare Hare Rama Hare Rama Rama Rama Hare Hare

domingo, 4 de novembro de 2007

Deuses Brasileiros

Deidades brasileiras

ALAMOA - duende feminino da Ilha de Fernando de Noronha. Mora no Pico
(elevação rochosa quase inacessível) e vaga pelas suas redondezas,
observando tudo que acontece na ilha. Segundo o mito, às sextas-feiras a
pedra do Pico se fende e ela aparece na forma de uma forte luz ou um
fogo-fátuo. Protetora da vida silvestre, ela aparece para os pescadores
exagerados e os caçadores por esporte na forma de uma mulher linda e nua,
mas quando eles se aproximam, transforma-se em um esqueleto,
enlouquecendo-os.

AMANA-MANHA - Deusa-Mãe da Chuva e protetora das nascentes. Tem a forma
de uma rã e pode-se ouvi-la cantar quando chove. Mora na cabeceira do
Rio Negro.

AMAO - Espírito do Rio Negro. Ensinou os indígenas Camanaos o processo
de fazer beiju, farinha de mandioca, farinha de tapioca e várias outras
coisas.

TXUNÔ - Deusa Caxinauá (Acre) com forma de andorinha. Leva os mortos
para junto de seus antepassados.

ANGOERA - Espírito dos Pampas (RS). Tem a forma de uma língua de fogo e
vagueia pelos pampas protegendo a vida silvestre.

ANHANGA - Deus da Caça no campo; protege os animais terrestres contra
os caçadores que querem abusar da caça, matando desnecessariamente. Pode
assumir formas diversas e, por isso, também tem vários nomes:
Mira-nhanga = espírito de humano; tatu-anhanga = espírito de tatú; suaçu-anhanga
= espírito de veado; tapira-anhanga = espírito de boi. Segundo os mitos
tupis, a visão de um anhanga é prenúncio de alguma desgraça para os
caçadores; no mínimo, um aviso de que estão exagerando e devem sair da
mata.
Também protege as plantas, das quais os animais dependem.
ARAÇI - Deusa-Mãe do dia. Tem a forma de uma cigarra. Também chamada de
Aramanha ou Daridari.

ARU - Filho de Amana-Manha, também tem a forma de um sapo, que vive em
clareiras do mato e em roçados. Em noites de chuva, Aru transforma-se
em um rapaz e, pegando uma canoa, vai buscar sua Mãe na cabeceira do Rio
Negro para visitar as roças e fazer com que elas prosperem.

BIATATÁ - Deusa do Mar, com forma de uma cobra-de-fogo, aparece sobre a
água apenas de noite.

BOITATÁ - Deus das águas doces, na forma de uma cobra-de-fogo. Vive nas
praias de mar e de rio. Protege os campos contra incêndios. Às vezes se
transforma num madeiro grosso em brasa (chamado méuan) para atacar
aqueles que põem fogo nos campos inutilmente.

BOIÚNA - Deus das Matas (AM), com a forma de uma grande cobra preta, de
olhos luminosos. Às vezes assume a forma de um vapor para vagar sobre
as águas dos rios, lagos e igarapés.

CAAMANHA - Deusa-Mãe da Mata. Protetora dos vegetais e animais. Coloca
gravetos envenenados na cama ou rede dos lenhadores para que fiquem
entorpecidos e sejam comidos pelos animais.

CAAPORA - Espírito da Floresta, também chamado de Caipora ou Curupira.
Tem os pés virados para trás para que ninguém possa seguir seu rastro.
Mora em troncos de velhas árvores. Protetor da mata e dos animais. Tem
cabelos arrepiados e verdes, olhos em brasa e, às vezes, cavalga um
caititu (porco-do-mato) agitando um galho de japecanga. Tem o poder de
ressuscitar os animais mortos sem sua permissão, apavorando os caçadores.
Anguns livros:
Ritos de uma Tribo Timbira
Tupã Tenondé
Mitologia Brasileira

Fontes para estudo:

O povo Desana
A origem do mundo segundo os Guarani
Fraternalmente
Anderson