Por favor, preencha a atmosfera com a vibração sublime dos Santos Nomes:
Hare Krsna Hare Krsna Krsna Krsna Hare Hare Hare Rama Hare Rama Rama Rama Hare Hare

terça-feira, 18 de março de 2008

“Os Donos da Verdade”


Por Alexandre Cumino

Há alguns dias escrevi um texto intitulado “O Codificador”, para falar sobre esta questão, de codificar ou não codificar a Umbanda, e também para observar a reação das pessoas. Afinal o texto “O Codificador” é de minha autoria e responsabilidade.

O Rubens nunca se colocou como codificador, nem teve esta intenção, o que fica claro no livro Código de Umbanda, onde diz que aquele livro não é “O Código da Umbanda”, mas sim um código como um conjunto de conhecimentos, apenas, para quem assim o desejar, veja no outro e-mail.

No entanto a Umbanda espera mesmo um “Salvador da Pátria” e muitos querem ser “O Salvador da Pátria Umbandista”.

Desde que o Rubens começou a psicografar livros e ter uma certa expressão, vem sendo perseguido, por aqueles que há muito tempo já queriam ser “O Salvador da Pátria”, afinal “Donos da Verdade” eles já são há muito tempo.

Já cansado de dizer que não pretende ser codificador de nada, em uma forma de desabafo, ele disse e eu registrei:

“já que querem me dar este titulo eu aceito”.

Afinal é tudo o que querem os donos da verdade, transformar sua mentira em verdade, há anos vem pregando uma mentira “que o Rubens quer ser o codificador ou o dono da Umbanda”, dizem que uma mentira repetida muitas vezes acaba se tornando verdade e esta tem sido a tática dos “Donos da Verdade”.

Ninguém se torna codificador por dizer que é codificador, ninguém imagina também que o Rubens vai sair por aí dizendo que é “O Codificador” da Umbanda, ou ainda que o Rubens acredite ser “O Codificador”.

Agora o que podemos ver é que muitos estão apenas esperando um deslize desses para falar:

“eu te disse, eu te disse !!! O Rubens quer ser o dono da Umbanda”.

O Rubens quer ser o “Dono da Umbanda”?

E é possível alguém ser o dono da Umbanda?

Esta é no mínimo uma afirmação mal intencionada, feita e repetida, pelos mesmos que dizem e repetem sem parar:

“eu te disse, eu te disse !!! O Rubens quer codificar a Umbanda”.

São sempre os mesmos a repetir impropérios contra o Rubens, são os “Donos da Verdade”, os “Doutores da Verdade”.

Não escrevo para convencer ninguém de nada, por isso mesmo não entro em debates, muito menos com pessoas que colocaram como meta atingir o trabalho alheio, ou melhor atingir o trabalho do Rubens Saraceni.

Haja visto o que foi feito com o Rodrigo Queiroz, foi convidado a um debate pensando que iria falar sobre umbanda e convergência, e o que aconteceu, foi usado para atingir o Rubens, não houve debate ouve um ataque frontal a obra do Rubens.

São sempre as mesmas pessoas, sempre o mesmo deserto de idéias atacando as idéias alheias.

Acham mesmo que o Rubens quer ser codificador de algo, existe uma grande distancia entre dizer: “Já que insistem eu aceito este titulo” e a pessoa querer codificar a religião.

No entanto reitero meus parabéns ao Rubens por ter aceito o titulo, tão honroso de codificador, independente dele ser O ou Um Codificador, independente de ele querer ou não, ser codificador, independente do que ele pensa, afinal o texto é meu.

Eu o reconheço, se não como O Codificador, sim como um Codificador, alguém que por inspiração conseguiu trazer todo um conjunto de informações sobre a Umbanda.

Aos adversários de plantão, obsessores encarnados do Rubens e demais autoridades da verdade eu lhes digo cada um crê no que acha melhor, cada um segue a sua consciência, se não concordam com o que eu escrevo é totalmente compreensível.

E repito não pretendo convencer ninguém, nem debater, apenas escrevo sobre minhas próprias considerações e, em tempo, aos que quiserem usar minhas palavras para atingir ao Rubens, saibam que falo por mim apenas.