Por favor, preencha a atmosfera com a vibração sublime dos Santos Nomes:
Hare Krsna Hare Krsna Krsna Krsna Hare Hare Hare Rama Hare Rama Rama Rama Hare Hare

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

O passado é uma roupa que já não serve mais

por Nelson Sganzerla - nelsonsganzerla@terra.com.br


O mês de Janeiro já terminou. Eu sei, em algumas capitais do país, o ano só começa após o carnaval, pois é no carnaval que muitos descarregam toda energia acumulada. Alguns se fartam do desejo da carne e terminam na quarta-feira de cinzas como um farrapo humano, nas praias ou nas sarjetas, por onde milhares desfilaram seus corpos sarados e como em um passe de mágica desaparecem, deixando para trás as fantasias pisoteadas de pierrôs e colombinas, molhadas pelo sereno.

Tudo acaba e tudo recomeça. É assim a nossa vida terrena, recheada de momentos que temos que vivenciar; lembro-me que em meu artigo anterior, sugeri uma mudança interna, a criação de uma meta, em qualquer área da vida e nada melhor que um começo de ano para colocá-la em prática. Como não sou diferente de ninguém, estava eu aqui, pensando nas minhas metas de vida para esse ano;    qu  quando me surgiu uma questão:

Para ter novas metas de vida, é preciso abrir espaço para que essas novas metas tenham um lugar para sua realização. Não cabe mais água em um balde que já esteja cheio.

Portanto, me pergunto, e faço a mesma pergunta a todos vocês, queridos leitores: Vocês criaram espaço para essas novas metas? Deletaram todo o lixo mental do seu disco rígido?

Quero aqui, exemplificar de uma maneira física. Acredito que muitos, nesse final de ano, trocaram seu aparelho de TV antigo ou a geladeira barulhenta que já nem acendia mais a luz interna, quando se abria a porta e não gelava mais as cervejas. Trocas justas, afinal, a vida útil desses aparelhos é como a nossa; possui seu final. Tenho certeza que para dar espaço ao novo, vocês se desfizeram do velho, embora eu saiba que muitos transportam essa velharia para a casa da praia, transformando-a em um museu, por apego ao material.

O ponto é:

Quantas coisas novas foram compradas que não irão caber nos armários e gavetas e lá irão ficar entulhadas por anos a fio, até você mudar de casa; quantos livros a mais que já não cabem em sua estante do quarto ou do escritório; quantos brinquedos seus filhos ganharam que estarão entulhados no quartinho da garagem; quantos sapatos, bolsas, cintos, gravatas, camisas amareladas pelo tempo...

Pergunto:
- Você se desfez do que já não irá usar? Ou vai ficar aí agarrado ao que já não usa e ao que já não quer, relutando para doar a um irmão que precisa.

E quanto à sua mente: será que você renovou os pensamentos? Já deletou as lembranças tristes, aquelas lágrimas acumuladas, de um tempo que já não volta mais? Ou você permanece agarrado a mágoas antigas, cobrando das pessoas aquilo que você mesma(o) não fez; querendo ser o dono da verdade, achando que todos têm que se render aos seus caprichos?

E o seu coração? Já perdoou? Ou ainda esta amargurado, achando que não merecia tanta dor, tanto sofrer. Acredite, se doeu, você precisou aprender. Dessa maneira, tenha certeza que não irá repetir; portanto, perdoe! O perdão desafoga a alma, oxigena o espírito, liberta o outro e abre caminho para o novo.

Faça essa limpeza interior, pois é fundamental dar espaço ao novo, ao melhor de nós, esvazie sua mente, da mesma maneira que você esvazia sua lista de contatos do seu velho celular. Rasgue tudo que já não lhe servirá para esse novo ano, do mesmo jeito que você rasga os cartões comerciais do seu antigo emprego. Não tenha medo de arrancar os galhos secos da sua árvore, pois só assim brotarão novos galhos verdes e viçosos.

Coloque em sua agenda novinha tudo que irá querer para você de bom nesse ano. Não se esqueça de guardar espaço para desejar coisas boas para os outros também; nunca se esqueça do outro, lembre-se que somos todos um.


Procure ser mais alegre, mais bem humorado, ter paciência com as pessoas de horizontes curtos, não ser carrancudo, olhar no olho, não baixar a cabeça quando fala, mas saber baixar quando escuta, não pré-julgar pela aparência, não ser tão materialista, não ser egoísta (é difícil, mas tente); falar menos de você e ouvir mais dos outros. Preste mais atenção à sua volta, dê passagem no trânsito, seja cordial, não trate as pessoas com desdém, com pouco caso, não humilhe e seja humilde de coração.

Acredito que esses ingredientes, somados a muita determinação e perseverança serão fundamentais para uma meta de sucesso, seja em qualquer área da nossa vida. Existem outros caminhos, eu sei; para isso Deus nos deu o livre arbítrio.
Só depende de nós escolhermos o que realmente queremos para as nossas vidas.

Pense nisso.