Por favor, preencha a atmosfera com a vibração sublime dos Santos Nomes:
Hare Krsna Hare Krsna Krsna Krsna Hare Hare Hare Rama Hare Rama Rama Rama Hare Hare

terça-feira, 20 de setembro de 2011

A Árvore da Vida



Por Renato Giannico


Toda manhã que levantamos para construir um novo dia, de todos os pensamentos que temos e de todas as ações que praticamos o que é que vamos deixar para as gerações futuras? Como estamos arando e semeando o solo do novo mundo?

Se lembrássemos disto todas as manhãs, ou quando fossemos escolher aquela profissão que nos motivou no vestibular, ou aquele empreendimento que dedicamos tanta força e empenho, seríamos mais felizes, sem fazer muitos cálculos e estudos, seríamos mais justos e verdadeiros. Então, eu como também estou lendo este artigo vejo que sempre poderia fazer mais, me espelhando na natureza que vive em harmonia com si só.

“Pelos seus frutos os conhecereis”, dizia um dos discípulos de Jesus. Afinal, somos criaturas e criadores.

Sou uma árvore composta de raízes, tronco e copa.

Alimento-me dos meus próprios frutos que caem ao redor, se é boa, minha terra fica fértil, se são frutos podres, minha terra fica tóxica e entro em um ciclo vicioso.

Sirvo de casa e alimento para muitos da natureza, mas se não souber quem está nesta minha casa sagrada, sou tomado e destruído, adoeço e perco a força.

Sinto-me forte e rígido, mas às vezes, os mais suaves ventos me balançam, penso que vou cair e perco alguns galhos e folhas.

Quero estar com a minha copa sempre cheia e cada vez maior, mas me esqueço que posso tombar se minhas raízes não estiverem firmes.

Olho para alguns galhos e vejo que estão firmes e sadios, mas estão sem flores, então aprendo a lei essencial da natureza: paciência, onde tudo tem o seu tempo.

Outros galhos estão secos e quase mortos quando poderiam estar cheios de frutos e flores. Fico triste e sei que poderia fazer mais.

Tenho o dom de semear e ser semeado, transformar e ser transformado.

Tenho nas minhas raízes os meus ancestrais, que me colocaram neste solo, e na minha copa tenho os meus sonhos e ideais.

Sou uma árvore que vive só e ao mesmo tempo junto com outras milhões iguais.

Sou uma árvore que busca crescer, expandir, ser firme e rígida para não cair, mesmo que o solo fraqueje e o tempo não favoreça.

Eu Sou a Árvore da Vida.

Desejo que você reconheça os teus galhos floridos e os secos também, e com toda a vida que existe nesta natureza sagrada, desejo sua árvore cheia de flores e bons frutos que semearão os solos deste mundo. E que lindas flores possamos colher nesta primavera que se inicia. Tempo de vida e renascimento. Que possamos refletir como anda esta nossa árvore da vida e os frutos que nela nascem.