Por favor, preencha a atmosfera com a vibração sublime dos Santos Nomes:
Hare Krsna Hare Krsna Krsna Krsna Hare Hare Hare Rama Hare Rama Rama Rama Hare Hare

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Autodisciplina



Autodisciplina é a habilidade de disciplinar a si mesmo, controlando o próprio comportamento para atingir determinadas metas. Ela requer responsabilidade, objetivos claros, regras e métodos. Podemos usá-la em todas as áreas de nossa vida, mas, certamente, a que mais exige esta capacidade é a profissional. Mesmo uma pessoa com diversos talentos necessita de uma boa dose de disciplina para poder lidar com seu potencial e administrá-lo. O resultado? O sucesso!
Daniel Carvalho Luz, autor do livro Insight e professor do curso de pós-graduação em Administração de Recursos Humanos da Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), observa que, quando encontramos uma pessoa que se mostra verdadeiramente bem-sucedida em quase tudo o que faz, em geral descobrimos que ela busca levar uma vida autodisciplinada.
"O papel da autodisciplina é gerenciar o nosso talento. Quando temos talento e não temos autodisciplina somos como um 'polvo de patins', há muito movimento, mas nunca se sabe se iremos para frente, para trás ou para os lados".
"Sem autodisciplina, nada conseguimos realizar; não haverá crescimento em nenhuma dimensão da vida, inclusive na dimensão profissional, que é a que mais demanda esta característica", acrescenta.
Para a psicóloga Sandra Marques, consultora de carreira da DBM Brasil, a autodisciplina é cada vez mais necessária na sociedade contemporânea. "Com tantos caminhos alternativos que nos são oferecidos, se as pessoas não aprenderem a se autodisciplinar, vão ficar perdidas. O mundo 'global' de hoje exige que você seja mais específico nas suas escolhas para que, durante sua jornada, possa ter um aprendizado contínuo e uma evolução permanente. Essas escolhas precisam ser disciplinadas para que você mantenha sua excelência", indica Sandra.
O professor Daniel Luz entende que esta capacidade de regular a própria conduta e de controlar conscientemente as circunstâncias em que se vive não é apenas um traço da personalidade, e pode, sim, ser desenvolvida aos poucos e da maneira correta.
"A autodisciplina é a capacidade de controlar nossa vida. Logo, não é inata, mas uma habilidade aprendida".
Há pessoas que parecem bem sucedidas em tudo que fazem. São vitoriosas na profissão, gozam de bom relacionamento com familiares, estão envolvidas nas atividades das comunidades que freqüentam e ainda mantêm uma boa forma física. Quando nos aproximamos de pessoas assim, tentando descobrir como é que conseguem realizar o máximo de seu potencial, logo descobrimos que quase todas possuem uma qualidade fundamental - a disciplina.
Por outro lado, há aqueles que colecionam uma vergonhosa gama de reveses, catástrofes e fracassos. Se perguntarmos a razão e eles forem sinceros, provavelmente farão uma avaliação honesta do por que dessas situações:
ü  "Sabe como é, fui deixando as coisas fugirem ao meu controle";
ü  "Deixei de fazer minhas tarefas";
ü  "Não fui perseverante";
ü  "Não cuidei de mim mesmo";
ü  "Não dediquei tempo suficiente";
ü  "Achei que os problemas se resolveriam por si mesmos".
E por aí vai. A maioria dessas desculpas tem como causa evidente a falta de disciplina.
Sem autodisciplina, nada realizamos.
Em seu livro The Disciplined Life, Richard Shelley Taylor define a autodisciplina como "a capacidade de regular conduta por princípio e julgamento e não por impulso, desejo, forte pressão ou costume social". Entendam que a disciplina é a capacidade de controlar, conscientemente, as circunstâncias em que vivemos. É a capacidade de controlar nossa vida.
A disciplina é um dos traços de caráter mais importantes que podemos ter. Trata-se de uma peça chave no desenvolvimento de qualquer área de nossa vida. E, no entanto, quantas pessoas realmente disciplinadas conhecemos? Será que podemos citar cinco conhecidos que são de fato disciplinados em todas as áreas da vida? Somos disciplinados assim?
Para desenvolver um estilo de vida disciplinado, uma de suas primeiras tarefas deve ser enfrentar e eliminar qualquer tendência de apresentar desculpas. Segundo o escritor francês François La Rochenfoucauld "quase todas as nossas falhas são mais perdoáveis do que os métodos que concebemos para escondê-las". Se você apresenta várias razões para justificar sua falta de disciplina, observe que elas não passam de um monte de desculpas. Se você deseja progredir, precisa enfrentá-los.
Olhe sua agenda da semana passada. Quanto de seu tempo dedicou a atividades regulares e disciplinadas? Você fez alguma coisa para crescer ou melhorar profissionalmente? Participou de atividades voltadas à saúde? Dedicou parte de sua renda à poupança ou investimentos para o seu benefício? Se você está deixando essas coisas de lado, dizendo a si mesmo que realizará todas mais tarde, deve trabalhar mais na área da autodisciplina.
Organize suas prioridades. Pense em duas ou três áreas de sua vida que considera as mais importantes. Anote-as juntamente com o tipo de disciplina que precisa desenvolver para continuar crescendo e melhorando em cada área. Elabore um plano para que essas ações adquiram uma periodicidade diária ou semanal em sua vida.
Livre-se das desculpas. Anote cada razão pelo qual você não foi capaz de cumprir sua disciplina. Leia as razões. Você deve recusá-las, pois são desculpas. Mesmo que um motivo pareça legítimo, encontre uma solução para superá-lo. Não deixe nenhuma razão que possa levá-lo a desistir. Lembre-se, só a disciplina é capaz e permitir que você obtenha o poder de realizar seus sonhos.
A autodisciplina pode ser considerada um tipo de treinamento específico,
criando-se novos hábitos de pensamento, ação e linguagem para o autoaperfeiçoamento e para ajudar a obter suas metas. A autodisciplina pode também ser alcançada através de pequenas tarefas específicas. Encare a autodisciplina como um esforço positivo e não como negativo (de deixar para lá).

Planeje uma pequena tarefa para uma certa hora do dia; Discipline o seu tempo.
  • Planeje uma determinada tarefa para a parte da manhã e outra para a parte da tarde.
  • A tarefa não deve levar mais que 15 minutos.
  • Aguarde a hora determinada para a tarefa.
  • Quando a hora determinada chegar, inicie a tarefa.
  • Mantenha o planejamento por pelo menos 2 semanas.
Benefícios: O Planejamento ajuda você a se concentrar em suas prioridades.
Concentrando mais em iniciar suas tarefas do que em completá-las, você poderá evitar a procastinação. Mantendo um registro, vai ajudá-lo a saber quanto tempo leva cada tarefa.
  • Planeje uma tarefa e siga à risca seu horário; Evite agir por impulsos.
  • Monitore seu progresso; No final do tempo alocado, mantenha um registro das realizações obtidas ao longo do tempo.
  • Se você conseguir tempo de sobra, preencha-o com outras pequenas tarefas, faça anotações, planeje outras tarefas, organize-se.

Use a rotina para seu benefício.
  • Em vez de se dedicar muitas horas em um dia e nenhuma no outro e algumas no seguinte e assim por diante, determine um certo período de tempo em cada dia da semana para aquela tarefa.
  • Seja firme.
  • Não fixe uma meta exceto pela alocação de tempo, simplesmente estabeleça o hábito da rotina.
  • Aplicando esta técnica em seus trabalhos de escola ou em seus projetos, você estará no caminho certo para a execução e conclusão dos seus objetivos.
Benefício: Você estará trabalhando com tarefas em pequenos incrementos, não tudo de uma vez. Primeiro você desenvolve um hábito, depois o hábito faz o serviço para você.

Use a autodisciplina para lidar com o gerenciamento do tempo
O gerenciamento do tempo pode se tornar uma tarefa complicada. Quando você não tem controle sobre si mesmo, como pode controlar seu tempo? Comece se controlando através da autodisciplina com o estabelecimento de tarefas.
Benefício: Ao passo que você controla suas tarefas, você desenvolve sua auto-disciplina. Ao passo que desenvolve sua auto-disciplina, você começa a gerenciar seu tempo. Ao passo que começa a gerenciar seu tempo, você desenvolve autoconfiança.

Mantenha um Diário da Autodisciplina.
  • Registre o início e término das tarefas.
  • Faça uma análise do seu progresso já obtido.
Benefício: Este Diário pode ser uma ferramenta útil para você ter uma idéia global das suas atividades a fim de colocá-las em ordem de prioridade e também para entender o que é importante e o que não é na utilização do seu tempo.

Planeje seu dia de trabalho e de seus estudos.
  • Quando você vai começar seu trabalho ou esteja indo para ele, tome alguns minutos do seu tempo e escreva em uma folha ou pedaço de papel as tarefas que você quer realizar naquele dia.
  • Coloque-as em ordem de prioridade.
  • Comece imediatamente a trabalhar no item mais importante.
  • Faça desta maneira durante alguns dias para ver se este hábito funciona para você.
  • Os hábitos se formam com o tempo: quanto de tempo vai depender de você e do hábito.
Benefício: Quando você tiver uma idéia clara do que você quer realizar para o dia que se inicia, as chances serão grandes de que você será capaz de executar as tarefas proativamente. Passando para o papel e esboçando seu dia antecipadamente ajuda muito.

Desânimo:
  • Não desanime; não adie as coisas devido ao tamanho do desafio.
  • Mas se hesitar, lembre-se de que isto é natural.
  • Dê uma descansada para se revigorar contra o desafio.

Associce um hábito novo com um velho:
Se você bebe café, associe a primeira xícara com a hora ou momento para detalhar e priorizar suas tarefas.
Benefício: A associação ajuda nas conecções neurais!

Verifique o andamento e progresso das atividades:
Em um calendário no seu banheiro, em uma planilha no seu computador ou mesmo sobre a mesa do café da manhã: Verifique e dê baixa nos dias em que você conseguiu fazer todas as atividades programadas. Se você falhou na rotina, comece de novo!
Benefício: A visualização é um rápido reforço e estímulo para seu progresso.

Mestres:
Observe as pessoas da sua convivência e veja como a autodisciplina e os hábitos as ajudam na realização de suas metas. Peça conselhos a elas sobre o que realmente funciona e o que não funciona.