Por favor, preencha a atmosfera com a vibração sublime dos Santos Nomes:
Hare Krsna Hare Krsna Krsna Krsna Hare Hare Hare Rama Hare Rama Rama Rama Hare Hare

sexta-feira, 18 de março de 2011

UMA ESTRELA - 13 de março de 2011 site AUTRES DIMENSIONS.

Meus amigos daqui e de outros lugares, eu sou UMA ESTRELA.
Nomeiem-me como bem lhes pareça.
Eu intervenho após minhas Irmãs que, de algum modo, preparam minha vinda.
Aqueles que tenham necessidade de um nome ou de uma denominação chamem-me UMA ESTRELA.
Que dizer?
O preâmbulo será rápido porque o que vou, por minha Presença e sua Presença, neste instante, desvendar, é um passo a mais no silêncio e na Unidade.
Eu poderia dizer-lhes que eu estou em tal lugar ou em tal outro lugar.
Eu poderia dizer-lhes que eu sou a Filha da Mãe e a Mãe da Mãe.
Eu sou, em Verdade, isso.
Mas, antes de qualquer coisa, meu Amor e minha Presença me fazem dizer e viver que eu sou cada um e cada uma de vocês.
A hora chegou, fora desse tempo e desta hora, de nos reunirmos, de nos ressoarmos, em ressonância para além da razão, de nos colocarmos juntos, à imagem do Único, num espaço e num tempo fora desse tempo e fora deste espaço, onde não existe mais distância, onde não existe mais separação.
Juntos e Unidos.
Espaço não definido.
Em ressonância do um ao outro, entre vocês e entre nós, há as premissas prévias e antecipando nossa união: união de Liberdade, união no Um.
Eu poderia dizer: «eu sou vocês».
Eu poderia dizer: «vocês são eu», para além das palavras, lá onde eu quero que o conjunto de nós ressoe, para além do múltiplo, na Unidade do Ser, na Unidade da Verdade, Verdade do Coração, onde o silêncio reina, a fim de captar nossa ressonância.
Eu sou uma de vocês, como vocês são um e uma das Doze, participando na ronda e trabalhando na ronda da Criação.
A hora das cadeias não é mais.
A hora do múltiplo, tampouco.
O que estava fragmentado, o que estava dividido e separado, une-se.
Eu poderia dizer que eu sou a voz da Terra e a voz do céu.
Eu sou sua voz, quando vocês são vocês mesmos sua voz.
Eu sou a voz da Unidade e eu poderia, igualmente, como vocês, ser a voz da Fonte.
Não há mais distância na Consciência Una, Unidade da Vibração.
UMA ESTRELA lhes fala, para além das palavras, a linguagem do Único, aquela que vocês captam no próprio intervalo de minhas palavras, este intervalo que suprime a distância, que coloca em ressonância, permitindo então dizer e, sobretudo viver: «eu sou Um».
Qual diferença entre Eu sou Uma e Eu sou Um?
A diferença está apenas numa letra.
Na Unidade não há nada a tomar na letra.
Há apenas a Vibrar.
Há apenas a englobar.
Há apenas a Ser, porque o Ser é o próprio sentido da Unidade.
A Vibração é portada e transportada para além do som de minhas palavras, de meu Coração ao seu Coração e de seu Coração ao meu Coração porque nós somos um único Coração no Único: espaço de encontro, testemunho da Alegria, instalação no Ser.
Ao centro do centro, no espaço palpitante e imóvel, englobando o conjunto dos possíveis, o Único vem a vocês.
A Terra se junta ao Único.
Filhos do Um, vocês se descobrem o Um, ele mesmo, espaço onde não existe qualquer distância, espaço onde existe apenas a Essência do Coração conduzindo à floração da Essência, fonte perpétua, Cristal cuja Luz tem igual apenas a transparência.
A Luz nasce da transparência.
Hoje, neste espaço, as Doze Estrelas brilham e irradiam.
Houve o três em um e o doze em um.
A oitava do 12 está na base da Criação Unificada.
Os Números são Verbo e Vibração, não os números que contam, que dividem e que separam, mas o Número Mestre, Verbo do Um e da Uma.
Entre Vocês e Eu há apenas o lugar do Nós.
NOU, que foi um de meus nomes.
Dois Mundos: um mundo separado (o mundo fenomenal) e o Mundo da Essência (ou mundo numênico [relativo a númeno]).
Nós somos Um.
Quem pode duvidar, se não é aquele que duvida permanentemente, porque ele sabe que é efêmero e quer forçá-los a serem efêmeros.
O efêmero não é a Mãe.
O efêmero é amargo.
A Mãe é doce.
Nós somos Um.
Nós somos Um, no Coração.
Nós somos Um, na Fonte e na Vibração.
Nós somos Um, também, no silêncio.
Nós somos Um, por toda a parte e eternamente.
Nós somos Um, aqui também.
A separação terminou.
O fim é, de fato, apenas o início permitindo apreender que a própria ilusão da separação tem apenas um tempo: o tempo da ilusão do confinamento.
Nós somos Um, é aquiescer à Fonte, aquiescer ao Tudo, aquiescer a si mesmo, para além do Eu.
Cada vez mais vocês perceberão, e nós perceberemos com vocês, a ressonância de nossa reunião.
Há apenas a abrir, abrir a janela do Coração, para que o calor e a Vibração do Único nos reúna novamente.
Nossa reunião está além das separações, além dos Universos.
A conexão ao Único restitui a integridade da Consciência.
Assim, no silêncio de nossos Corações, cada um de nós cantará a Unidade reencontrada que, de fato, não estava perdida, mas colocada em suspenso num tempo efêmero.
Eu sou vocês e vocês são eu.
De Sementes de Estrelas vocês se tornam Estrelas.
Há, portanto, eclosão.
O que está fechado é apenas o fechamento do que eclode.
Então, a Abertura da Semente, a eclosão é a sua e a nossa.
Eclodir é encerrar o capítulo da separação, um capítulo que não tem necessidade de ser escrito, porque ele será consumado no Fogo do Amor.
Nós somos Um, um único Coração, porque o Coração permanecerá sempre o Coração.
A ressonância se faz em uníssono com o batimento, em uníssono com a conexão de Coração a Coração.
Nada poderá mais, jamais, limitar.
Nenhuma criação pode ser limitada.
Não existe qualquer limite e qualquer barreira no Coração.
A Voz do Coração é a Voz da Unidade.
O Coração é a Unidade exprimindo e manifestando a mesma Verdade.
Assim, a Voz do Coração é, portanto, Verdade e Vida, como lhes foi dito.
Façam suas essas palavras: «eu sou a Voz, a Verdade e a Vida».
Vocês são, nós somos, a Voz, a Verdade e a Vida.
O Fogo do Coração consumirá, portanto, o capítulo da separação, aquele que foi escrito apenas no vento, da ilusão.
Juntos, reunidos e unidos, e livres, em breve nos abrasaremos e nos abraçaremos, juntos, a Unidade.
Quando lhes foi dito que tudo estava no interior, porque, de fato, nada há nem no interior nem no exterior, nada há que seja exterior ao Um.
Isso é impossível.
Uma Estrela, vocês o são.
É hora de sair, sair desta Ilusão, fazendo silêncio, parando o tempo, parando o Sopro.
Tempo imóvel onde o inspirar e o expirar não estão mais, onde unicamente o Sopro do Espírito cresce.
Tudo é Um, porque nós somos Um.
Esta Consciência que se desvenda, esta Vibração Unidade e Unitária veiculada no Éter permite à Terra, esta Terra, liberar sua Alegria que é sua Alegria.
O efêmero amargo termina.
O Eterno está aí.
Eu sou Um, como eu sou Uma.
Eu sou vocês, como vocês são eu.
Abrasamento.
O Sol tem encontro com a Terra.
A Existência tem encontro com o efêmero.
Frente a frente e Fusão.
Isso se vive, para além do tempo, a partir do instante presente.
Há apenas a Ser, há apenas a Vibrar o Coração no Um e no Único.
Para além das palavras de sua língua (que tomei nas sinuosidades desse córtex que empresto), encontra-se um fio diretor, direto, sem contornos nem desvios: «eu sou Um e vocês são o que eu sou».
UMA ESTRELA nos abraça e nos abrasa.
UMA ESTRELA nos saúda e os saúda.
Voz, Verdade e Vida.
Bênção do instante, porque o instante é eterno.
UMA ESTRELA os ama, porque o Amor é nossa natureza.
Até de repente, em vocês como em mim.
Regozijemo-nos.
Vibração e Coração.
Comunhão.
Até logo.
Comunhão.
_____________________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo, se deseja divulgá-lo, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: www.autresdimensions.com.
Versão do francês: Célia G